Original

– Filha, você não pode ser assim.
– Ué, mãe, você vive me falando que temos que aceitar as pessoas como elas são. Me aceite assim.

(Larissa, 7 anos)

 
 
 
 

Diabético

Meus filhos estavam discutindo quando a Maria Rita falou:
– Você é um diabético!
O Gabriel, indignado, veio reclamar comigo e perguntei:
– Gabriel, você sabe o que quer dizer a palavra diabético?
– Só pode ser alguma coisa de diabo, né? Diabético!

(Gabriel, 10 anos e Maria Rita, 7)

 

Inglês

Estava no meu quarto lendo um livro enquanto meu irmão assistia o casamento real britânico na sala. Extasiado, resolveu me chamar:
– Pamelaaaaa! Vem ver o casamento do Harry Potter, tá passando!

(Juan, 7 anos)

 

Comparação

– Mamãe, posso comer dois chicletes?
– Não. Eu já deixei você comer um saco de salgadinho. É muita porcaria para um dia só.
– Mas, mamãe, dois é pouco.
– Não, Malu. Dois não é pouco.
– É pouco, sim. E se eu tirasse dois na prova?

(Malu, 6 anos)

 

Ranking

Mateus estava fazendo a tarefa de catecismo e diante de uma dúvida eu disse:
– Filho, em primeiro lugar devemos amar a Deus.
Para me certificar do entendimento dele, perguntei:
– Filho, quem você ama em primeiro lugar?
– Deus.
– E em segundo lugar?
– O papai.
– Como assim o papai? Achei que em segundo era a mamãe.
– Ué, era você. Mas você colocou Deus na história.

(Mateus, 6 anos)

 

Codinome

– Ana Clara, por que minha mãe te chama de Zika? Por causa do Zika vírus?
– Não é Zika, é Chica.
– Ah tá, então é Chikungunya.

(João Pedro, 10 anos)

 

Ufa

– Mãe, você é preta porque é mulher, sabia?
A mãe pensando que o filho sofreu algum tipo de preconceito racial, falou:
– Filho, tem pessoas de várias cores mas todos nós somos iguais.
– Não, mãe. Quando é homem é preto.

(Matheus, 4 anos)

 

Noção

Levei o Enzo no supermercado comigo e passamos por uma pilha de Nutella. Ele virou para mim e disse:
– Tia Mary, eu gosto de Nutella. Mas não podemos comprar todo dia porque custa milhões..

(Enzo, 5 anos)