Ocupado

Em sala de aula me aproximo de uma mesa que estão 3 meninos, quando escuto o Gustavo dizendo:
– Quando eu ganhar muito dinheiro, vou comprar uma mansão.
– No que você vai trabalhar?
– De manhã eu vou ser cientista, a tarde cantor e a noite vou ser entregador de pizza!

(Gustavo, 6 anos)

 
 

Homem invisível

– Amanhã vou para a escola sozinha.
– Cecília, nenhuma criança vai para a escola sozinha.
– O Kenzo vai.
– Com certeza o Kenzo vai para a escola com o pai dele.
– Só se o pai dele for transparente.

(Cecília, 3 anos)

 

Improviso

Comprei um presente para minha filha dar no aniversário de uma amiguinha e quando ela chegou eu perguntei:
– E aí, Malu? Ela gostou do presente?
– Acho que gostou. Mas falei que dá próxima vez eu dava uma coisa melhor.
– Como assim, filha?! Você mesma adorou o presente.
– Ah! Eu tinha que falar alguma coisa e falei isso.

(Malu, 6 anos)

 

Sabe ou não sabe?

Estávamos no supermercado fazendo compras, quando a Evelyn apontou para os pacotes de camisinha e perguntou bem alto:
– O que é isso?!
Na hora da surpresa, ficamos sem saber o que fazer e acabei dizendo:
– Não sei, filha.
E ela, com a maior confiança, devolveu:
– Sabe, sim, você compra sempre.

(Evelyn, 4 anos)

 

Atestado

– Filha, não fique perto porque a panela está espirrando.
– A panela está doente, mamãe?

(Maria Beatriz, 4 anos)

 

Super poderes

Meu filho começou a gritar de medo porque tinha uma barata perto dele. Então, tentando ensiná-lo a superar seus medos, falei:
– Olha o seu tamanho e o tamanho da barata! Quem é maior?
– Eu.
– Quem é mais forte?
Ele já se encorajando, respondeu:
– Eu!
– Então agora mata ela.
E ele foi todo confiante quando, de repente, a barata saiu voando e ele voltou gritando:
– Manhêêê… Eu sou maior e mais forte, mas ela voa.

(Rafael, 7 anos)

 

Prioridade

Meu filho estava jogando video game, então pedi para que me ajudasse e ele respondeu:
– Agora não posso, mãe.
– Como assim, não pode?! Vem aqui agora!
– Estou ajudando o Batman a pegar o bandido! Ele precisa mais de mim do que você, mãe! Por favor, entenda!

(Rafael, 8 anos)

 
 

Folga

– Mãe, não vai trabalhar. Fica comigo, eu tô de férias.
– Segunda é feriado, a mamãe vai ficar em casa com você.
– Feriado do quê?
– Revolução Constitucionalista.
– O que isso?
– Feriado dos soldados que morreram, Isa.
– Mas se os soldados que morreram, por que você que fica em casa?

(Isa, 4 anos)

 

Sinceridade

Estávamos no parque e eu pedi para minha filha tirar um foto minha. Quando ela me devolveu o celular fui olhar a foto e disse:
– Nossa, essa foto ficou estranha.
– É você, mãe. Você é estranha!

(Esther, 08 anos)