terça-feira, 29 de julho de 2014

Muito difícil

- Yasmin e Giovanni, quando vocês acabarem de brincar com papel e tesoura, vão juntar esta bagunça e organizar tudo, ok?
Yasmin replica:
- Mamãe, eu estou cortando um elefante. Isto é uma tarefa extremamente difícil. Por isto eu não posso me estressar agora, ok?

(Yasmin, 5 anos)

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Resolvido

Todos no carro quando o pai perguntou:
- Olha, não é aqui a casa do Lucas, Isabella?
- Sim!
A Clara se antecipou:
- É o namorado dela, pai.
A mãe tentando entender a situação, perguntou:
- Mas Isa, você já não gosta do João? Como pode ter dois namorados?
E a Clara arrematou:
- Lógico que ela pode ter dois namorados. Ela tem duas bochechas!

(Clara, 5 anos e Isabella, 7)

sábado, 26 de julho de 2014

Fórmula da beleza

- Mãe, por que você corre na esteira todo dia?
- Pra ficar mais bonita, filho.
- Mãe, não está dando certo. Você sai daí toda vermelha e suada. Você é muito mais bonita antes de subir na esteira.

(Arthur, 5 anos)

Safári

Estávamos voltando à noite no carro, quando Alana decidiu abrir o vidro:
- Laninha, não abre o vidro porque pode vir algum trombadinha.
- Mamãe, trombadinha é elefante, né?!

(Alana, 4 anos)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Esconde-esconde

Bia estava encostada na porta da geladeira. Estranhei e perguntei:
- Oi, Bia. Tudo bem?
- Tudo, mamãe. O gato "não" está dentro da geladeira!

 (Beatriz, 03 anos)

terça-feira, 22 de julho de 2014

Realidade infantil

Estava querendo lavar meu cabelo e a Nina queria brincar comigo.
- Não lave, Isa. Fique aqui, brincando comigo.
- Mas meu cabelo está oleoso, Nina.
- O da minha boneca também.
- Mas ela é de mentira.
- Assim você me magoa, Isa. Para mim, ela é de verdade.
- Mas é a realidade, Nina.
- Sua realidade pode ser um pouco menos verdadeira?

(Isabela, 14 anos e Nina, 7)

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O sonho não acabou

A mãe percebeu que o Yuri estava com a fralda cheia e teve que acabar com a brincadeira para limpá-lo. Ele olhou bem nos olhos dela e disse:
- Você acabou com os meus sonhos.

(Yuri, 3 anos)

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Há tempo para tudo

- Giovanna, você sabia que eu vou ganhar um Iphone?
- Sério, Gaby? Quando?
- O William disse que vai me dar o dele quando eu fizer 15 anos.

(Gaby, 8 anos)


terça-feira, 15 de julho de 2014

Quer pagar quanto?

No dia das crianças, Bia ganhou um telescópio de brinquedo.
Esperamos anoitecer e fomos para o quintal ver as estrelas e a lua. Ajustei tudo, e a vista era mínima. Ela olhou e disse com uma voz meio decepcionada:
- Mãe, nem dá para ver as galáxias!
- Claro né, filha?! É um telescópio de brinquedo. Para ver as galáxias tinha que ser um igual ao da NASA.
Ela pensa por uns segundos e diz com toda naturalidade:
- E tem como comprar um desses parcelado?

(Bia, 9 anos)

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Higiene

Minha sobrinha estava no banheiro fazendo cocô e quando terminou, gritou:
- Acabei! E acabou o papel "nojênico" também.

(Lígia, 4 anos)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Adrenalina

Yanne torceu o balanço o máximo que conseguiu e soltou, fazendo-o girar muito rápido. Então gritou:
- Mãeeee, isso faz cócegas no meu coração.

(Yanne, 3 anos)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

E agora?

A tia explica para o Bruno a idade que ele precisa dizer que tem para não pagar a tarifa do ônibus:
- Se alguém perguntar, você tem cinco anos, ok?
Eis que o cobrador pergunta:
- Quantos anos você tem?
- Cinco.
- E quando você faz seis?
- Quando eu descer do ônibus.

(Bruno, 6 anos)

terça-feira, 8 de julho de 2014

Tagarela

- Luísa, que cara é essa?
- Eu não dormi direito.
- O que aconteceu?
- O porquinho (de pelúcia) falou a noite inteira.

(Luísa, 3 anos)

Amor platônico

Rodrigo estava tomando leite e me olhava fixamente. Então eu perguntei:
- Tá me namorando?
- Não. Eu namoro a Charlie.
- Quem é a Charlie?
- É da minha escola.
- Mas você precisa me pedir pra namorar. Outra coisa: ela sabe que vocês estão namorando?
- Não. É segredo!

(Rodrigo, 6 anos)

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Dando uma aula

- Mãe, hoje eu aprendi na escola como as pessoas ficam felizes quando a gente diz obrigado para elas.
- Puxa, filho, mas você já não tinha aprendido isso comigo?
- Não, mamãe. Com você eu aprendi o que é o amor.

(Guilherme, 6 anos)

Fartura

Dois irmãos conversando:
- Nossa, a gente é muito pobre mesmo. Nem temos dinheiro para consertar a porta do banheiro.
- Não fala assim, Victor Hugo. A gente tem dinheiro até para comprar bolacha recheada.

(Pedro, 3 anos e Victor Hugo, 4 anos)

sexta-feira, 4 de julho de 2014

GPS

As primas conversando pelo telefone:
- Nina, quando você vem aqui em casa, no Rio de Janeiro?
- Não sei. Vem você para São Paulo, Pietra?
- Vou! É para a esquerda ou para a direita?

(Nina, 7 anos e Pietra, 5 anos)

Bons tempos

- Mãe, quando você começou a trabalhar na Jovem Pan, já existia computador?
- Sim, tinha apenas um e eu dividia com o tio Marcelo.
- E celular, você tinha?
- Ainda não.
- E o que vocês faziam o dia inteiro sem celular e só com um computador?!

(Arthur, 3 anos)

Mãe sabe tudo

Conversando sobre a copa, o Enrico perguntou:
- Mãe, em que ano a seleção nasceu?
- Ah, filho não sei de cabeça, não. Depois a gente pesquisa no Google.
- Mas mãe, você é meu Google!

 (Enrico, 6 anos)

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Meta

- Papai, eu não vou mais usar chupeta e nem tomar leite na mamadeira. Eu já não sou mais bebê.
- Luísa, meus parabéns! Isso é muito legal. Você decidiu isso agora?
- Sim! Tá na hora de eu mudar de vida.

(Luísa, 3 anos)

Vizinho de cima

Estávamos em casa, quando ouvi a Leda falando com alguém pela janela da sala. Mesmo com a rede de proteção, fiquei apreensiva. Fui olhar e a encontrei em cima do sofá, com a cabeça pra fora, olhando pra cima e gritando:
- Põe a cabeça pra baixo... Põe a cabeça pra baixo!
Cheguei perto, olhei pela janela e não vi nada. Então, perguntei:
- Filha, com quem você estava falando?
Ela me respondeu meio sem jeito.:
- Com o Deus. Eu pedi pra ele pôr a cabeça pra fora do céu pra eu ver como ele é.

(Leda, 4 anos)

terça-feira, 1 de julho de 2014

Cheia de razão

Durante a aula particular, Caren queria apontar o lápis, mas o cestinho do apontador estava cheio.
- Tia, tem que desvaziar o cestinho.
 Logo a corrigi:
-Esvaziar, Caren. Desvaziar não existe.
- Mas eu falo desligar!
- Desligar é diferente, é o contrário de ligar.
Ela ficou pensativa e concluiu:
- Então desvaziar é encher!

(Caren, 6 anos)

Paulista

Um dia, durante o jantar, a Arianne pergunta:
- Mamãe, eu nasci em São Paulo, não é?
- Sim, você nasceu.
- Mãe, tô achando que eu sou uma Avenida.
- Avenida? Como assim?
- Sou Paulista. Igual a Avenida Paulista.

 (Arianne, 4 anos)

Acerto de contas

Na saída da escolinha:
- Amanda, porque você bateu no amiguinho?
- Porque ele me provocou.
- E o que foi que ele disse que te provocou?
- "Não doeu".

(Amanda, 4 anos)

Problema adquirido

Durante uma aula de ballet:
- Tia Carol, não vou fazer esse passo de ballet. Hoje estou com torcicolo no joelho.

(Alice, 6 anos)

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Impressionante

- Enzo, estou gostando de ver como você tem usado direito os adjetivos. Você sabe o que é um adjetivo?
- Adjetivo? É a palavra que a gente usa quando quer impressionar uma pessoa?

(Enzo, 6 anos)

Bem pensado

- O que acontece se a pessoa perde o cérebro?
- Ela morre na hora.
- Achei que ela ficava sem imaginação.

(Gabriel, 8 anos)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Canibalismo

- Nossa Rute, a nossa mãe come até o pé do frango.
- Hunf! Ela come até a mão.

 (Rute e Regina 6 e 5 anos)

Plano de carreira

- Filho, o que você quer ser quando crescer?
- Aposentado.

 (Lincoln, 4 anos)

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Necessidades básicas

Morena estava observando alguns cachorros brincando no quintal, quando Tony perguntou:
- Morena, você viu se o Dexter fez xixi?
- Não, tio. Mas ele fez churros.

(Morena, 3 anos)

Eu sei, tu sabes, ele sabe...

Saindo do banho:
- Gabi, levante o braço pra vestir a blusa.
- Tatinha, me dá. Eu sabu vesti.
- Não é eu "sabu". É eu sei!
- Se você sabe, então ponha.

(Maria Gabriella, 2 anos)

terça-feira, 17 de junho de 2014

Passe errado

Estávamos conversando sobre os desfalques do Palmeiras, quando o Matheus disse:
- Tia, tudo mercenário! Primeiro, foi o Chico Xavier e agora o Alan Kardec.
- Calma, Matheus. Você está misturando religião com futebol. Alan Kardec está certo, mas o outro foi o Cleiton Xavier.

(Matheus)

De onde viemos

Estávamos assistindo a um programa do Discovery Channel e minha filha Yasmin nos acompanhava. O assunto era fecundação e ela ficou muito interessada em todos aqueles passos intrauterinos até a fecundação, crescimento do óvulo e nascimento. No dia seguinte, entramos numa van e uma senhora a elogiou:
- De onde foi que veio esta menina tão linda?
Mais do que rápido, Yasmin respondeu:
- De uma minhoquinha chamada "espermozóide" que entrou num ovinho pequenininho e deu eu.

(Yasmin, 3 anos)

Praticamente

- Como foi a festinha, Guga?
- Ah mãe, foi boa. Mas coitado do Pedro.
- Por quê?
- Porque ele tem aquela doença que não pode comer doce... a "diabólica".

(Gustavo, 4 anos)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Manso

Estávamos indo pra Jacarepaguá, na casa do meu irmão. Eu dirigindo e as crianças atrás na maior bagunça. No meio da agitação a Julia pergunta:
- Onde estamos indo, mãe?
- Na casa do seu tio. Em Jacarepaguá.
O Pedro parou tudo e perguntou:
- Onde?
- Jacarepaguá.
Pedro parou de pular e ficou sentado, calado.
- Onde mesmo, mãe?
- Jacarepaguá!
Mais cinco minutos e Pedro, num fio de voz:
- Mãe, Jacarepaguá morde?

(Julia, 6 anos e Pedro, 4 anos)

A vida é uma caixinha de surpresas

Visitando a casa de amigos da família, Lúcio pediu para ir ao banheiro. A mãe o acompanhou e esperou. Depois de alguns segundos sentado no vaso sanitário e nada acontecido, ele falou:
- Sabe mãe, a vida prega peças na vida da gente. Eu pensei que fosse cocô, mas era só pum.

(Lúcio, 6 anos)

domingo, 15 de junho de 2014

Sua Majestade

Cena matinal. O Enzo me entregou o desenho de um castelo com uma pessoa no alto empunhando uma espada:
- Mãe, fiz pra você.
- Que lindo! Amei.
- É um castelo, a ponte e o laguinho.
- Parabéns! Já sei: esse é você, o rei desse castelo.
- Não, mãe! Esse castelo não é meu, é dele. É o 'Faber Castelo'. Foi ele quem fez esses lápis.

(Enzo, 5 anos)

Gula

João brincando de lanchonete:
- Mãe, o que você vai querer?
- Um cachorro-quente, por favor.
- E você, pai?
- Um x-tudo.
- Tudo não, tem que deixar para os outros também.

(João, 4 anos)

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Boicote

Lauren termina de jantar e imediatamente me pede um biscoito.
- Lauren, dê um tempo para o seu cérebro assimilar a comida. Em 5 minutos te dou um biscoito.
- Ahhh, eu odeio meu cérebro!

 (Lauren, 5 anos)

Boa idéia

- Mãe, tem uma menina na minha sala que só me irrita, corta minha conversa e briga comigo. Tô vendo que vou ter que virar amiga dela para ela parar de fazer isso comigo.

(Maria Eduarda, 7 anos)

Verba

- Vou dar R$10,00 pra cada um. Mas como só tenho uma nota de R$20,00, vou dar para o seu pai e depois ele divide entre vocês.
- Vó, não dê para o meu pai. Ele desvia todo meu dinheiro.

(Pedro, 6 anos)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

"Poliglota"

Um aluno disse para o outro:
- Você sabe o que é "bonjour"?
- Não.
-"Bonjour" é "bom dia", no inglês da França.

(Adriano e Alexandre, 8 anos)

Brincando de esconde-esconde

O Dudu está procurando o tablet, mas não encontra. Então, pergunta:
- Mãe, se você fosse um tablet, onde se esconderia?

(Dudu, 6 anos)

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Se explique

Após a mamãe dar de mamar para o recém nascido e o colocar pra arrotar, escuta:
- Mamãe, por quê o Theo pode arrotar e eu não?

 (Rafael 6 anos)

E agora?

- Mãe, eu não vou torcer pelo Brasil.
- Vai torcer por quem, Felipe?!
- Pelos brasileiros.

 (Felipe, 3 anos)

terça-feira, 10 de junho de 2014

É oficial

- Mãe, a senhora é minha mãe de verdade?
- Claro que sim, filho. Por quê?
- Porque a senhora não sabe quase nada sobre o meu álbum da copa. Não sabe nem de cabeça quais figurinhas ainda faltam pra completar...

(Antonny, 9 anos)

É grave

Minha afilhada me perguntou o que era gravidade e resumidamente expliquei que era uma força que nos empurrava pra baixo.
Logo, em um descida muito íngreme, ela disse que tinha entendido minha explicação:
- Olha madrinha, estou sentindo a gravidez.

(Bárbara, 4 anos)

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Para o alto e avante!

Bruninho mexendo no Ipad, abre o Google Earth.
- Filho, sabe que esse aplicativo é o Google Earth? Dá para ver nossa casa aí.
- Eu sei mamãe, mas eu quero achar Krypton.

 (Bruno, 3 anos)

Sinceridade

- Filha, qual parte da missa você mais gosta?
- Aquela quando vou embora no carro da vovó.

(Bia, 5 anos)

sábado, 7 de junho de 2014

Lego

- Mãe, eu quero uma irmãzinha. Me dá uma?
- Filho, para ter uma irmãzinha temos que nos planejar e precisamos ter dinheiro também.
- Não tem problema, mãe. A gente vai devagarinho. Primeiro, compra uma perna, depois a outra. Aí, quando a gente tiver comprado tudo, é só montar.

(João, 4 anos)

Palavra-chave

Estávamos no parquinho do bairro quando o Gabriel pediu para brincar do balanço. Após posicioná-lo corretamente, disse:
- Gabi, quando você quiser sair fala primeiro, tá?
- Tá bom.
Passando algum tempo...
- Papai!
- O que?
- Primeiro.

(Gabriel, 2 anos)

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Espertinha

Após um final de semana na casa da tia, perguntei para a Iara:
- Filha, você tomou banho na casa da sua tia?
- Tomei!
Como conheço a peça, perguntei:
- Hoje?
- Não.

 (Iara Vitória, 5 anos)

Publicitário

Pedro chega em casa contando que Davi chorou na escola porque a professora reclamou com ele. Tentando saber o que havia acontecido, perguntei:
- Davi, porquê a professora brigou com você? Você é um menino tão bonzinho, tão educado...
- Vai lá na escola, tia e conta isso pra ela.

(Pedro e Davi, 2 anos)

Efeitos colaterais

Uma dia desses estávamos, eu e a Bia, assistindo vídeos no Youtube. Eu sentada na cadeira e ela no sofá, vendo o monitor meio de lado. Depois de vermos alguns, ela vira-se para mim, coloca a mão no pescoço, faz uma cara de dor e diz:
- Meu pescoço tá doendo! Acho que é cólica...

(Beatriz, 9 anos)

quinta-feira, 5 de junho de 2014

QI

Estava distraída no hortifruti com as crianças, quando peguei a conversa deles no meio do caminho:
- O meu é maior que a cenoura.
O outro respondeu:
- O meu é do tamanho da berinjela.
Fiquei brava. Puxei os dois de canto e falei:
- Puxa vida, isso não é papo para se discutir no meio de todo mundo.
Aí o João fala:
- O tamanho do nossa cérebro, mãe. O que tem demais?

 (Mateus e João, 10 anos)

Boquiaberto

Vô, borboleta é uma lagarta deslumbrada.

(Lia, 8 anos)

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Telepatite

A caminho da escola:
-Mamãe, o que é telepatite?
-Filho, você quer saber o que é telepatia ou hepatite?
-Pode falar as duas. Eu não sei nenhuma mesmo.

(Samuel, 7 anos)

Nutrição

Depois de um longo tempo sem ver o pai que estava viajando, Bia o encontra. Abraça, faz a maior festa e logo diz:
- Papai, estava com muita saudade. Mas você é um pai muito "desnutrido". Viajou e nem ligou pra sua filha.

(Beatriz, 10 anos)

Diversão

No transporte, indo a uma festa do dia das crianças:
- Samuel, fique quietinho porque quando chegar lá teremos vários brinquedos legais para você brincar bastante.
- O que vai ter?
- Pula pula, touro-mecânico, peça de teatro...
- Mãe, a sua cabeça é cheia de coisas divertidas.

(Samuel, 4 anos)

Ketchup

- Pai, não me beije. A sua barba tá picante.

 (Davi Angelo, 5 anos)

terça-feira, 3 de junho de 2014

Tudo passa

- Alice, tu gosta de morango?
- Não, vovó.
- Mas eu lembro que você comia morango.
- Vovó, as pessoas mudam.

(Alice, 5 anos)

Procuradora

- Papai, quando eu crescer, quero ser procuradora.
- Por quê, Aninha?
- Por causa dos diamantes.
- Diamantes??
- É, papai. Vou ser procuradora de diamantes.

(Ana Luiza, 4 anos)

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Equilíbrio

Pedro empurra seu irmãozinho Joaquim, que se desequilibra e cai de bumbum no chão. A avó que presencia tudo o repreende:
- Pedro, não empurre seu irmãozinho. Ele ainda é pequeno.
- Vovó, ele precisa aprender a se equilibrar na vida.

(Pedro, 4 anos e Joaquim, 1 ano)

Precisar, não precisa.

- Maria, como será o seu novo quarto? Quais serão as cores e os móveis?
Meio insatisfeita, mas me respondeu tudo o que perguntei . Então questionei:
- Qual o motivo da sua tristeza, Maria?
- Minha mãe está fazendo um quarto para mim, mas meu pai precisa mais do que eu. Ele dorme na cama da minha mãe até hoje.

(Maria, 5 anos)

Frozen

Maria Luiza estava cansada depois da primeira noite de choro da nova irmãzinha, Júlia.
Saiu do quarto com as mãos nos ouvidos, reclamando com os pais:
- Essa casa vai virar um "inverno".

(Maria Luiza, 4 anos)

domingo, 1 de junho de 2014

Gerações

- Mãe, o que é tataravó?
E o Enzo se antecipou:
- Dãããrrr, Heloyse. É a tartaruga avó.

(Heloyse, 10 anos e Enzo, 5 anos)

Mera coincidência

- Uau!! Eu nasci no mesmo dia em que eu faço aniversário.

(Felipe, 5 anos)

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Tirando onda

- Luiza, o mar está muito bravo, amor. Fique aqui na beirada com a mamãe.
- Pode deixar, mamãe. Vou ficar fazendo careta para ele rir.

(Luiza, 4 anos)

Boa pergunta

- Teacher, por que o lápis cor-de-pele chama cor-de-pele se ele não é da cor da pele de ninguém?

(Lívia, 6 anos)

Fila

Após a morte de uma velhinha em um filme infantil, Carol e vovô começam a conversar:
- Vovô, ela morreu?
- Morreu. Todo mundo vai morrer um dia.
- Eu sei. O senhor vai morrer vovô.
- Você também.
- É. Só que eu vou demorar.

(Carol, 5 anos)

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Missão

Assistindo "Apollo 13" com o Pedro:
- Viu quantos cálculos, filho? Toda essa equipe e os astronautas estudaram muito para essa missão.
- É verdade, mãe. Ainda bem que eu não quero ser astronauta.

(Pedro, 6 anos)

De Piracicaba

Beatriz foi passear com os irmãos na praça perto de casa, mas voltou logo. Perguntei:
- Que rápido! Por que vocês não ficaram mais?
- É que tinha uns meninos lá fumando pamonha.
 
(Beatriz, 4 anos)

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Maduro

- João, o que você quer ser quando crescer?
- Adulto.

(João, 4 anos)

Marketing

- Mãe, agora na escola eles ficam tocando música de comercial na hora da entrada.
- Como assim, filha? Que comercial?
- Aquele do posto Ipiranga. Eles cantam lá: "Ouviram do Ipiranga..."

(Laura, 5 anos)

terça-feira, 27 de maio de 2014

Estrada sinuosa

Mariana estava começando a ler e em uma viagem para a casa da vovó começou a ler todos os letreiros que passavam:
- Pos-to. Es-tre-las. Mo-tel... Papai, o que é motel?
Depois de alguns segundos pensando, ele respondeu:
- É o hotel em que as pessoas chegam de moto.
- E no hotel as pessoas chegam de "hotomóvel", né?

(Mariana, 7 anos)

Contagem regressiva

Manu, contando até vinte:
- Dezessete, dezoito, dezenove e... dezedez!

(Manu, 2 anos)

segunda-feira, 26 de maio de 2014

É ou "Noé"?

Depois de passar um ônibus com a propaganda de um filme na traseira, uma conversa começou no banco de trás:
- Calebe, olha lá aquele filme.
- Noé.
- É sim!
- Noé.
- É sim!

 (Miguel, 5 anos e Calebe, 8 anos)

Sugestão

A família toda sentada à mesa para o almoço e o vovô reclamava que seu dedo estava doendo porque a aliança estava apertada. Todos sugeriam maneiras para tirar a aliança, mas nenhuma sugestão funcionava. Foi então que a Maria Clara entrou no debate:
- Vovô, por que você não vai na igreja resolver isso?
- Na igreja? Por quê?
- Ué, não foi o padre que colocou a aliança no seu dedo? Problema dele. Mande ele tirar agora!

(Maria Clara, 6 anos)

Internalizar

- Mãe, o que é isso?
- É um scanner, filho.
- E o que ele faz?
Depois te tentar explicar por alguns minutos, decidi mostrar pra ele como funcionava.
- Entendeu, filho?
- Ahhh mãe, entendi... Ele imprime pra dentro.

 (Marcel, 6 anos)

Maquiagem "elabolada"

Depois de passar o batom na minha boca, a Flor comentou:
- Mãe, você ficou linda! Está parecendo o Patatá!

(Flor, 6 anos)

Preto e branco

Pedro vendo minhas fotos de infância, em preto e branco, falou:
- Mãe, quando foi que coloriram o mundo?

(Pedro, 5 anos)

domingo, 25 de maio de 2014

Ponto de vista

No consultório oftalmológico, o médico perguntou:
- Então, o que esse moço tem?
E o Mateus logo respondeu:
- Doutor, eu não consigo enxergar no escuro.

(Mateus, 3 anos)

Judô mirim

- Mamãe, eu não fiz a aula de judô hoje, tá?!
- Mas por quê?
- Ah, só tinha crianças adultas.

(Luca, 4 anos)

Dieta

Aladê acordou de madrugada dizendo que estava com fome.
Perguntei o que ele queria comer e ele respondeu:
- Qualquer fruta, menos aquela roxa (ameixa), porque essa eu sei que é da sua dieta maluca.
- Maluca? Por quê?
- Porque você nunca emagrece.

(Aladê, 5 anos)

Bate coração

A Manuela estava deitando no chão, abrindo a boca de sono e falei:
- Vamos dormir, filha. A sua bateria está acabando.
Ela, mais que depressa respondeu:
- Eu não sou celular. Eu tenho um coração, não uma bateria.

(Manuela, 3 anos)

Sinceridade

Ana Clara estava no carro, retornando pra casa após ter passado a noite na casa dos tios. Perguntei:
- Ana Clara, você se comportou?
- Não.
- Ué, por quê??
- Porque eu tô sem vergonha!

 (Ana Clara, 2 anos)

sábado, 24 de maio de 2014

O blog cresce, mas nossas crianças, não

Manter esse blog é, sem dúvida, uma das coisas mais divertidas que a gente faz. Quem acompanha desde o começo, sabe como as coisas começaram. A ideia de compartilhar as pérolas de nossas crianças sempre foi para que pudéssemos rir juntos da espontaneidade dos nossos pequenos, mas também para, de algum jeito, celebrar a inocência e a graça da infância.

Ficamos imensamente felizes em conhecer, dia após dia, mais pessoas que gostam do que o blog promove e passam a acompanhar e contribuir com novas frases. E às vezes, esses novos leitores ajudam a ampliar a nossa voz. Foi o que aconteceu recentemente, com a divulgação que o Frases -- aqui em casa a gente só chama ele pelo primeiro nome ;-) -- recebeu em alguns veículos de mídia.

Primeiro, o Catraca Livre publicou um artigo citando algumas das pérolas das nossas crianças e ajudando a divulgar o nosso e-mail para contribuição (frasesdecriancas@gmail.com, caso tenha falhado a memória). Algumas semanas depois, a Nathalia Ilovatte do R7 ligou e escreveu uma matéria muito gentil contando um pouco de como o blog surgiu e falando da Nina e da Luiza. E hoje, a Marcela Campos também falou sobre o blog em sua coluna na Gazeta do Povo.

A gente sabe que nesse espaço ninguém quer ouvir assunto dos adultos, mas às vezes vale a pena interromper a risada para comemorarmos um pouco. Juntos, porque o Frases só é feito com as pérolas que vocês nos mandam.

Abraços,
Henrique, Manú e Nina


Lá vem o sol. #soquenao

A Alice foi passar o verão no Brasil e ganhou um óculos de sol da vovó. Já de volta à Inglaterra, as duas conversavam pelo Skype:
- Alice, cadê os seus óculos de sol?
- Os óculos não funcionam aqui.
- Como assim?
- Eu ponho os óculos mas o sol não aparece.

(Alice, 4 anos)

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Veja bem

Victor estava inquieto, correndo de um lado para outro, falante e saltitante. Então, sua mãe disse pausadamente, mas em alto e bom tom:
- Victor, so-sse-ga!!!
Ele chegou bem perto, olhou nos olhos dela e devolveu:
- Mas você não é cega. Tá enxergando, mãe!

(Victor 5 anos)

Calibrado

- Vovô, acho que estou com pneumonia.
- E como você sabe disso, Lucas?
- Olha esse monte de pneus na minha barriga.

(Lucas, 8 anos)

Eliminando intermediários

Os pais foram ao shopping comprar as encomendas do Papai Noel para os filhos. O presente do filho mais novo estava esgotado e eles telefonaram pra casa:
- Miro, estou aqui com o Papai Noel e ele está me dizendo que esse seu presente já não tem mais. Você vai ter que escolher outro, filho. O que você quer?
- Mamãe, passa o telefone pro Papai Noel que eu resolvo.

(Miro, 4 anos)

Oração

- E Deus, por favor, mude o coração dos vilões.

(Nina, 6 anos)

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Eis a questão

- Mamãe, por que a banana prata é amarela?

(Luiz Felipe, 4 anos)

E agora?

- Tia, qual é o desenho mais bonito?
- Todos são bonitos. Está um mais bonito que o outro!
- Qual é o que está mais bonito que o outro?

(Marina, 5 anos)

Crack

Minha sobrinha perguntou para a mãe dela:
-Mãe, o que é crack?
Minha irmã ficou assustada.  Pensou que alguém havia oferecido crack para ela na escola e explicou que isso era uma droga muito ruim, que algumas pessoas até poderiam falar que a droga é boa mas não era nada disso... Enfim, minha sobrinha que na época fazia aula de reforço escolar, ficou assustada e disse:
-Mãe, então não quero mais ir para as aulas de reforço, não.
-Por que, filha?
-Porque a professora falou que eu ia ficar crack.

(Beatriz, 6 anos)

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Oráculo

Minha filha estava preparando um lanche e deixou minha neta, Lia, de 8 anos, cuidando do irmãozinho Kim, de 2 meses. Estava frio e o Kim agitava os bracinhos e perninhas embaixo do cobertor, que caía o tempo todo. A Lia, por várias vezes teve que abaixar e recolocar o cobertor no irmão. Depois de várias tentativas frustradas, ela falou:
-Mãe, vou lá pesquisar no Google sobre "como colocar o cobertor numa criança agitada", porque desse jeito eu não vou aguentar!

(Lia, 8 anos)

Fila

-Mãe, quando eu crescer vou me casar.
-É minha filha?! Que bom.
-Sim, vou me casar com o papai.
-Ué Lara, mas eu já sou casada com ele.
-Então, daí vai ser a minha vez!

(Lara, 4 anos)

Teste vocacional

-Nina, cuidado. Você está cortando demais o cabelo dessa boneca.
-Calma, vovó. Eu nasci para ser cabeleireira, cozinheira, médica, veterinária, artista e dona de pet shop.

(Nina, 7 anos)

terça-feira, 20 de maio de 2014

Autodidata

No carro indo ao parque o tio pergunta:
-Lucas, quem te ensinou a fazer este barulho?
Então o Lucas respondeu:
-Eu me ensinei, tio.

(Lucas, 4 anos)

Melhor não dar essa opção...

-Pai, quantos anos você tem?
-Adivinhe, filho. Eu tenho qua...
-Quatrocentos!!

(Murilo, 5 anos)
Google+